fbpx

Alergia à proteína do leite de vaca

alergia a proteina do leite

A alergia à proteína do leite de vaca (APLV) é, sem dúvida, a alergia alimentar mais comum em crianças de até 2 anos. É ocasionada por uma reação do sistema imunológico às proteínas presente no leite de vaca, principalmente a caseína e as proteínas do soro (alfa-lactoalbumina e beta-lactoglobulina).

 

Veja também:

 

A forma de apresentação da alergia à proteína do leite de vaca varia de acordo com o tipo de mecanismo imunológico envolvido (consulte o texto no site sobre alergia alimentar). Além disso, a manifestação clínica dos sinais e sintomas é dividida conforme o tempo de surgimento. Como, por exemplo:

 

  • Imediata: em segundos ou até 2h da ingestão:

Urticária (placas vermelhas disseminadas, geralmente com coceira associada);

Angioedema (inchaço dos lábios e dos olhos);

Vômitos em jato e/ou diarreia;

Chiado no peito e respiração difícil;

Anafilaxia;

Choque anafilático.

 

  • Tardia: após 2h, podendo chegar a dias após a ingestão:

Vômitos tardios;

Diarreia com ou sem muco e sangue;

Sangue nas fezes;

Cólicas e irritabilidade;

Intestino preso;

Baixo ganho de peso e crescimento;

Inflamação do intestino;

Assadura e/ou fissura perianal.

 

  • Mista: apresenta-se em segundos ou até dias após a ingestão:

Dermatite atópica moderada a grave (descamação e ressecamento da pele, com ou sem formação de feridas);

Asma;

Refluxo;

Inflamação do esôfago (esofagite eosinofílica);

Inflamação do estômago (gastrite eosinofílica);

Diarreia, vômito e dor abdominal;

Baixo ganho de peso e crescimento.

 

Diagnóstico de alergia à proteína do leite de vaca

 

A suspeita de alergia à proteína do leite de vaca é levantada, sobretudo, pela história clínica. No entanto, caso necessário, o médico pode solicitar exames de sangue ou então o teste cutâneo. Em casos que gerem mais dúvidas, pode ser feito o teste de provocação oral.

 

O único tratamento eficaz para essa doença é a exclusão de leite e seus derivados da alimentação da criança. Contudo, nos bebês que seguem aleitamento materno exclusivo, a ingestão de leite e derivados deve ser abolida da dieta materna. Para bebês que fazem uso de fórmula infantil, deverá haver substituição por fórmulas especiais (com aminoácidos livres) ou então fórmulas alternativas industrializadas de soja.

 

O tempo para melhora dos sintomas da alergia à proteína do leite de vaca é variável. Isto é, varia de acordo com o tipo de reação imunológica. A maioria das crianças após os 3 anos apresenta melhora, mas alguns podem ter sintomas até a adolescência e fase adulta.

 

Consulte sempre um profissional de saúde.

SOBRE

A Clínica Vida Vegana nasceu do sonho da Dra. Gleyce Cobra de levar para o consultório de pediatria geral o diferencial de atender com respeito, acolhimento e embasamento técnico-científico famílias já adeptas ou em transição para uma alimentação vegetariana.

POSTS RECENTES

REDES SOCIAIS

Contato

WhatsApp chat