A gestação de um bebê é um momento incrível e único para a mulher. Como sempre conversamos, essa é uma fase de enorme demanda nutricional e energética para poder proporcionar um bom desenvolvimento de bebê. Diante de tantas mudanças ocorrendo no corpo da mulher e, também, na rotina dela surge a questão: “Após o nascimento devo continuar com os mesmos suplementos da gestação? É preciso fazer outra suplementação? Preciso de algum acompanhamento?”

Essas são dúvidas bem comuns entre as mulheres no pós-parto. E muitas sentem-se perdidas. É importante lembrar que muitas mulheres, fora do período gestacional, já sofrem com carências de alguns nutrientes e minerais. E passam pela gravidez nutricionalmente desequilibradas.

Agora imagine só a mãe que, em média, ficou 40 semanas gerando um feto que tinha grandes necessidades para seu desenvolvimento e assim absorvia da mãe todos os nutrientes necessários para crescer. É de se imaginar que algum cuidado seja preciso ter com essa mulher não só durante a gestação, mas também no pós-parto. 

Por conta disso, nossa conversa hoje será sobre os cuidados que as mulheres precisam ter no período após o nascimento dos filhos. 

É normal que esse assunto gere dúvidas. E vou te contar que essas incertezas muitas vezes são até mesmo de profissionais de saúde que fizeram o acompanhamento gestacional, mas ficam inseguros em relação a continuidade da suplementação ou não.

A suplementação da mulher sempre deve ser feita de maneira individualizada considerando toda a história de saúde dela. Em geral, a suplementação deve ser realizada logo no início da gravidez, de preferência iniciada antes da gestação, para preparar o corpo para receber e gerar uma nova criança e ter o aporte necessário para todos os trimestres.

A maioria das gestantes usa suplementação padrão de algumas vitaminas e minerais. Entretanto realizar um acompanhamento de perto e contínuo permite com que algumas complicações sejam evitadas. Como por exemplo a depressão pós parto e o baby blues  (fase que a mulher fica mais melancólica devido às alterações hormonais).

Se você está na fase do puerpério, já tem em seu colo o seu tão amado filho e ainda não teve uma consulta com os profissionais que te acompanharam (obstetra e nutricionista) mantenha a suplementação do último trimestre. Essa é uma dica de ouro! Mas não deixe de buscar ajuda profissional e continue seu acompanhamento de forma individualizada.

O ideal é retornar às consultas em média na sexta semana pós-parto. É importante saber se houve complicações na gravidez ou no parto. Realizar exames laboratoriais é um diferencial importante. Eles possibilitam a triagem do seu estado nutricional atual, avaliando desde a função de algumas glândulas até os níveis hormonais. Assim é traçada a melhor estratégia nutricional e a prescrição individualizada de suplementos. O objetivo é reequilibrar o organismo da mulher, considerando sua nova rotina e realidade de vida, garantindo a saúde de mãe e bebê.

Entre as vitaminas que merecem uma atenção especial temos, por exemplo, a vitamina D. Ela é bem importante para o período após o parto e, em muitos casos, é preciso fazer a suplementação. No puerpério a mãe ainda está se adaptando a rotina com o bebê, não consegue sair de casa e, por isso, tem uma menor exposição ao sol.

A oferta de cálcio merece também bastante atenção. A demanda fica bem aumentada por conta da amamentação. É importante garantir boas fontes de cálcio pela alimentação e, ainda assim, avaliar a necessidade de suplementação.

O ferro é outro micronutriente extremamente importante. É comum que no final da gestação o estoque de ferro no corpo da mãe, chamado de ferritina, fique baixo. Se não é feita nenhuma intervenção é alto o risco de a mulher desenvolver anemia, com todos os seus sinais e sintomas clínicos. Por exemplo, cansaço, queda de cabelo, quebra de unhas, etç. E isso pode interferir na saúde do bebê também.

Um outro suplemento que, dependendo do caso, é interessante manter é o ômega 3. Além de ser importante para a saúde da mãe, vem mostrando ter influência na maturação cerebral e no desenvolvimento da visão da criança.

As vitaminas do complexo B, como a B12, B6 e B2, devem entrar na rotina de acompanhamento. Principalmente quando se avalia mães e bebês vegetarianos e veganos.

O puerpério é uma fase de grande desafio emocional e físico para a mulher. É claro que diversos aspectos e fatores devem ser considerados para apoiar a mulher. Mas garantir o equilíbrio metabólico-nutricional no pós-parto proporciona à mãe melhor qualidade de vida, energia e disposição, além de garantir melhor imunidade.

A gestação chegou ao fim, mas os cuidados com a mulher não! Cuide-se!

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Siga nos no Instagram!