Consulta Nutricional: Como funciona o atendimento com nutricionista?

É muito comum que a figura do nutricionista esteja atualmente sempre associada a questões estéticas como o emagrecimento e o ganho de massa muscular. Essa associação não está incorreta, uma vez que tanto um quanto o outro fazem parte de processos e tratamentos orientados pelo profissional de nutrição.

Entretanto, o nutricionista é antes de tudo um profissional da área da saúde, e sua função principal está em garantir a integridade do paciente; promovendo não somente a ausência de doenças, como o bem-estar físico, mental e social deste indivíduo.

Nosso organismo é composto por sistemas que se autorregulam naturalmente. Assim, dormimos quando sentimos sono, bebemos água quando sentimos sede, vamos ao banheiro quando sentimos necessidade, e da mesma maneira, comemos quando sentimos fome.

A função do nutricionista seria redundante, não fossem os tantos cenários e fatores que interferem diretamente na alimentação.

A fome e a saciedade são afetadas também por questões emocionais e psicológicas. O que podem levar o indivíduo a adotar um consumo que não condiz com as suas necessidades atuais. Destas situações emergem o ganho ou a perda de peso excessivos, as doenças crônicas, assim como o desenvolvimento de transtornos alimentares.  O ponto central do tratamento de muitas enfermidades e o manejo de sintomas é feito especialmente através da alimentação.

Além dos quadros citados, existem ainda os objetivos individuais que podem incluir estética, emagrecimento, hipertrofia, performance e rendimento em esporte, transição para um padrão alimentar novo, saúde e prevenção de doenças crônicas.

Qualquer processo que envolva o ato de comer, e a ligação alimento e ser humano pode contar com o trabalho de um nutricionista.

Na prática, o que é feito em uma consulta nutricional?

Todo atendimento é feito inicialmente com base na escuta do profissional às suas necessidades. Desta maneira a consulta começa com uma conversa, onde você relata ao profissional os seus motivos para estar ali e o objetivo principal para ter procurado um atendimento nutricional.

Na sequência, é feita uma entrevista bem detalhada que ajudará a coletar informações mais claras sobre o seu estilo de vida, hábitos alimentares, histórico de doenças, queixas, sintomas e desejos.

Na consulta é feita uma avaliação corporal através de diferentes métodos, que podem ser tanto bioimpedância, quanto aferição de medidas corporais como circunferências e dobras cutâneas. A avaliação física é utilizada para entender a composição corporal do paciente, pois é também através do percentual de gordura, da quantidade de massa muscular, do grau de hidratação, do nível de gordura visceral (gordura que envolve os órgãos abdominais) entre outros dados, que é possível avaliar riscos para a saúde e escolher qual a melhor conduta a ser tomada.

Durante o atendimento é sempre viável que o paciente já tenha exames laboratoriais recentes em mãos, pois estes dados enriquecem a consulta deixando-a mais precisa.

Quando não se tem exames, eles podem ser solicitados pelo profissional, baseado nas queixas, sintomas e demais pontos abordados na conversa.

Nutricionalmente, os exames laboratoriais têm a principal função de nos mostrar como o seu organismo vem respondendo ao seu consumo atual e acusar se existem carências e excessos tanto de micronutrientes quanto de macronutrientes. Desta forma, avalia-se a necessidade de redução de alguns alimentos e de suplementação de outros nutrientes.

Com base em todas essas informações coletadas e a análise das avaliações físicas e dos exames, o profissional estabelece junto ao paciente algumas metas e elabora o plano alimentar, que é uma das ferramentas auxiliares para atingir os objetivos iniciais.

Neste momento é primordial o entendimento entre o paciente e o nutricionista, para que a estratégia adotada seja adequada e voltada especificamente para as necessidades dele. Para alguns, o plano deve ser mais fechado, para outros deve ser mais flexível e também é possível não adotar plano alimentar algum, seguindo uma estratégia baseada em questões comportamentais.

É importante lembrar que todo plano alimentar tem data de validade, pois ele é calculado para o paciente naquele exato momento, com aquela composição corporal e objetivos específicos.

Com o passar do tempo, os resultados começam a aparecer e o plano deve ser readaptado para a sua “nova versão”.

Como funciona o acompanhamento e o retorno?

A questão de retornos e acompanhamento são muito individuais e variam de acordo com a forma de trabalho de cada profissional.

Levando em consideração que um tratamento nutricional ou um processo de reeducação alimentar são projetos de médio e longo prazo, nós não trabalhamos com retorno e sim com acompanhamento.

Alguns pacientes precisam apenas de orientações e adaptações sutis na alimentação. Para estes indicamos uma consulta anual, afinal o metabolismo e as necessidades mudam ano após ano. Outras pessoas podem necessitar de um acompanhamento mais justo, com consultas mensais, bimestrais ou trimestrais.

Portanto, toda consulta é feita de forma individual, com a reavaliação de todos os aspectos citados anteriormente e novo plano alimentar calculado a cada encontro.

A frequência de encontros é estabelecida no momento da primeira consulta, com uma sugestão inicial da nutricionista e um acordo que contemple a possibilidade do paciente.

Você pode gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Siga nos no Instagram!