O que é o Ayurveda? Como funciona o tratamento? Posso me tratar pelo Ayurveda sem ser vegetariano?

Ayurveda é um dos sistemas médicos descritos mais antigos que temos até hoje. Foi desenvolvido na Índia antiga, há cerca de 7 mil anos, e continua sendo uma medicina muito utilizada na Índia contemporânea. No Brasil, apesar de fazermos mais uso da biomedicina do que do Ayurveda, as práticas ayurvédicas foram incluídas no Sistema Único de Saúde (SUS) por meio da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares e é praticada por profissionais da saúde integrativa, como a Naturóloga.

Para o Ayurveda (ayur = vida + veda = conhecimento), o organismo é composto por um conjunto de gunas(qualidades) que são sintetizados em 5 elementos (espaço, ar, fogo, água e terra). Todo o tratamento dentro do Ayurveda levará em conta esses cinco elementos e suas qualidades para montar o tratamento.

Pela visão dessa medicina, a nossa capacidade digestiva e a nossa rotina são fundamentais para manter a saúde. É o que chamamos de Agni (fogo digestivo e seus estados de funcionamento) e Dinacharya (rotina diária adequada). Com isso em dia, pelos nossos processos digestivos, geramos os nossos doshas (forças biológicas) e suas diferentes qualidades.

O que são esses doshas?

Os doshas são movimentos fisiológicos específicos que agem no corpo e produzem todos os nossos processos metabólicos. Eles são três: vata, pitta e kapha. Muitos teóricos chamam essa teoria de Teoria Tridosha ou Teoria dos Três Humores. Esses doshas representam a ação fisiológica dos cinco elementos no organismo: vata se identifica com os elementos ar e espaço, pitta se identifica com os elementos fogo e água e kapha, com os elementos água e terra. Isso é superimportante no Ayurveda, pois todo o tratamento levará em conta a quantidade e a qualidade desses doshas no corpo para montagem do tratamento.

Pode-se dizer, portanto, que o Ayurveda é uma medicina constitucional porque compreende que todos os organismos têm qualidades e quantidades diferentes. Dizemos que uma pessoa é mais “pitta-kapha” se ela possui muito mais qualidades de pitta e kapha do que de vata, por exemplo.

Mas o que isso tem a ver com o vegetarianismo?

O Ayurveda não limita a alimentação para produtos de origem vegetal “plant-based”, mas recomenda a dieta vegetariana estrita ou lacto-vegetariana para manter a saúde. Isso porque os terapeutas ayurveda ou naturólogos que trabalham com Ayurveda sugerem que, como as carnes e outros alimentos de origem animal possuem características kapha (são mais pesados, densos, de difícil digestão, mais gordurosos e mucosos), seu consumo mais facilmente gerará ama(que são as toxinas digestivas) do que pelo consumo de outros alimentos (os de origem vegetal).

Como para o Ayurveda a nossa capacidade digestiva e a nossa rotina diária ditam a nossa saúde, se nos alimentamos de produtos de origem animal (de difícil digestão), o nosso agni (fogo digestivo) não dará conta de digeri-los, gerando toxina digestiva ama, que gerará doença. Dessa forma, para o Ayurveda, a alimentação tem um papel essencial na formação de tecidos e, se inadequada, no adoecimento.

O surgimento e acúmulo de ama são motivos do adoecimento. Quando toxinas digestivas são acumuladas no corpo, bloqueamos a nossa circulação, atrapalhamos o nosso metabolismo celular e a nossa digestão e geramos sintomas, como muco, constipação, inflamações na pele e até doenças mais complexas diagnosticadas, como cálculos renais e biliares, acne, reumatismo, candidíase, entre outras.

Alguns pesquisadores afirmam que o Ayurveda é baseado no vegetarianismo por motivos espirituais, sendo os benefícios para a saúde apenas consequência. Isso faz sentido se pensarmos que o Ayurveda veio da cultura hindu, da mesma origem do Yoga, que leva o princípio da não-violência (Ahimsa) com muita seriedade. Esse princípio indica que, para se avançar espiritualmente no contexto hindu ou do Yoga, não se deve cometer qualquer tipo de violência física, mental, espiritual e respeitar toda e qualquer forma de vida. Ou seja, alimentar-se da carne de um animal não está de acordo com esse princípio tão importante para essa cultura. Dessa forma, o Ayurveda (medicina de uma cultura que promove a não-violência) será um sistema médico não violento que valoriza o equilíbrio entre corpo, mente, espírito e ambiente. Portanto, vegetariano.

Para aqueles que desejam se tratar pelo Ayurveda, uma medicina que valoriza a capacidade digestiva do corpo e o estilo de vida saudável moldado por uma rotina adequada, o vegetarianismo estrito ou o veganismo não são uma necessidade de conduta. Entretanto, se o consumo de carne for exagerado, teremos acúmulo de toxinas que geram sintomas e doenças.

Qual o papel da naturóloga?

No contexto do Ayurveda é o de unir esse conhecimento milenar às nossas formas de conduta e a nossa cultura. É o de respeitar a realidade social daquele indivíduo, seus costumes e sua cultura e moldar um plano de tratamento com técnicas do Ayurveda que não sejam invasivas, mas que valorizem o natural e o que produzam saúde e não toxinas. A Naturóloga que trabalha com Ayurveda buscará limpar o organismo de toxina, tratar sinais e sintomas e promover rejuvenescimento (físico, metabólico e mental). Tudo isso com massagens, massalas, oleação, fitoterápicos, yoga e meditação.

Bibliografia:

  1. Ayurveda – A Ciencia Da Autocura: UM GUIA PRATICO – Vasant Lad
  2. Ayurvedic Cooking for Self-healing – Vasant Lad
  3. O Yoga que conduz à plenitude: Os Yoga Sutras de Patañjali – Gloria Arieira

Você pode gostar

1 Comment

  1. Sou lacto-vegetariano há 3 anos, e desde que adotei essa dieta minha digestão melhorou muito! Adorei o artigo, a visão do Ayurveda sempre me interessou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Siga nos no Instagram!